Publicidade Directa em crise?

Antes de escrever um artigo a falar sobre as médias móveis – parte 2 –  (estou a adiar os assuntos da bolsa até encontrar o timing ideal para que todos possam investir num mercado de baixa volatilidade, porque começar hoje é acabar amanhã de bolsos…vazios) pretendo analisar convosco e perceber se todos têm tido a mesma sensação quanto ao mercado de publicidade directa na blogosfera, sobretudo na blogosfera inglesa.

Não consigo ter dados suficientes para conseguir uma noção exacta da situação da blogosfera portuguesa, isto porque a crise vivencia-se de forma diferente em Portugal do que no resto do mundo, dado que já havia uma crise estrutural à muito mais tempo em Portugal.

O Natal!

Estamos em vésperas natalícias, é uma altura em que existe um forte investimento em campanhas de publicidade, na TV, na rádio, na internet, no “mobile marketing“, entre outros. É também sem dúvida a altura que se faz mais dinheiro com programas de afiliados, Ebay, Allposters, e muitos outros; as campanhas têm tendência a iniciar a 20 de Novembro, mas o que tenho notado em termos pessoais é que o número de anunciantes privados mantém-se fixo ou tem decrescido nos meus blogs em inglês. Os anunciantes de longa data mantém-se fieis e pedem uma alteração nosbanners para algo mais natalício, mas não surgem novos anunciantes, aqueles que só anunciariam no Natal e noutras épocas festivas. No ano passado a esta altura tinha sites com espaços para banners esgotados, agora muitos deles estão a 50%, a esta altura tinha que negar pedidos de publicidade, a esta altura tinha que fazer tudo e mais alguma coisa. Neste ano, a esta altura tudo está diferente…nada sobe e se evolui para algum sítio é para baixo, são anunciantes a terem pouco fluxo de caixa e a desistirem das campanhas em termos gerais.

Estou a ser o mais sincero possível, estou com muitas dúvidas neste Natal, e no próximo. É impossível prever o que acontecerá daqui a um mês, quanto mais daqui a 1 ano. Estamos numa situação extremamente complicada nos mercados, sejam eles mercados físicos (bolsa) ou um simples nicho de mercado como o da publicidade directa. Faço uma análise ao mercado da publicidade em termos gerais, pois podia muito bem particularizar para “telemóveis, tecnologia, quadros, posters, etc”

Depois do Natal devo chegar a conclusões mais precisas. E vocês? Têm notado mudanças/diminuições/aumentos nos vossos ganhos na publicidade? Se registaram diminuições que medidas têm tomado?

Colocado em: Geral

Sobre o Autor:

Quase a terminar o Mestrado em Finanças e com um longo historial na área financeira e mercados bolsistas Muhammas traz-nos as últimas novidades para Ganhar dinheiro em Forex, Acções e Commodities.

12 Comentários para "Publicidade Directa em crise?"

Trackback | Feed dos Comentários

  1. A crise chegou e não é só nos mercados financeiros. A crise real chegou a todo lado, quanto mais não seja pelo medo que os consumidores têm e não estão a comprar nada. Isso depois repercute-se em espiral.

    Comigo passa-se o mesmo, os que já ca estavam ficam…as vezes demoram a pagar, etc…

    Notei ganhos maiores no ebay, mas adsense e outros estão piores ou iguais…

    Rui Augustos last blog post..Pessoal… e Transmissível

  2. Muhammad diz:

    Obrigado pelo comentário Rui, Eu lia no Digital Point à algumas semanas muitos a comentarem que a crise seria algo paralela ao blogging e aos lucros que dele podem ser obtidos. Afinal, não era assim tão linear. Tenho o ebay também em crescimento, mas porque começo a apostar mais no EBPN cada vez mais; os lucros do Adsense têm estado a baixar, mas a publicidade privada é a situação mais crítica.

    Hello!!! Estamos no Natal!!!
    😉

  3. Benny diz:

    Em relação ao Natal e à falta de investimento vi há dias na TV uma pequena reportagem em que perguntaram a pessoas que passavam na rua se “iriam oferecer presentes do mesmo valor às mesmas pessoas”. A resposta da maioria é que não só iriam oferecer presentes mais económicos como iriam reduzir o nº de “presenteados”.

    Está aqui traçado o que se passa actualmente e a crise que se atravessa e lógicamente verifica-se oefeito”bola de neve” emque a crise chega a todos e a todos os sectores.

  4. Muhammad diz:

    Exacto, é o efeito bola de neve. E neste tema, à 2 minutos recebi um e-mail deste género:

    “I hate to have to do this but my budget has been constricted even more. I am down to a max of $500/year for a link on your homepage as discussed before. We have taken a big hit internally and I am on an edge with this offer. I would really appreciate if you can understand my position.”

    Se a crise chega aos vários sectores de actividade, estes estarão menos receptivos em anunciar e fazer campanhas de publicidade. Este é um email de vários parecidos que tenho recebido.

    De qualquer forma, temos que aceitar….não é como dantes…

    Abraço!

  5. Marco Figeiredo diz:

    Qual crise qual que…
    Segurem o tuga… se viram a reportagem (reducão de vendas em brinquedos igual a zero) podiamos abrir uma loja de brinquedos sazonal, acho que iamos facturar.
    Parabens Muhamad grande blog.
    P.S. o meu dinheirinho do forex ainda não choveu…
    Abraco.

  6. Marco Figeiredo diz:

    Bem… crise por crise, proponho um momento de relaxe aos leitores do maquina do dinheiro… desfrutem agora, invistam depois.
    Abraco.
    http://www.youtube.com/watch?v=1DpY9Eq52dk

  7. Muhammad diz:

    Hehe. Há crise mesmo…lol

    Quanto ao dinheiro do Forex estou a achar muitíssimo estranho. Voltaste a falar com eles?

  8. Muhammad diz:

    Já estive a ler sobre os brinquedos. 😛

    http://caldeiraodebolsa.jornaldenegocios.pt/viewtopic.php?t=66186

    Já agora, a pessoa que estava a tocar eras tu? “Marco Figueiredo”…

  9. Marco Figeiredo diz:

    Sim, de facto era eu, espero que tenham gostado!! 😉
    Ja falei com eles, parece que houve um atraso, a situacão não me parece estranha visto que eles têm estado em contacto comigo, mas vamos lá ver…

  10. Muhammad diz:

    Boas Marco. Deveras fantástico, ouvi 3 vezes o vídeo. A esta altura já deve estar mesmo regularizada então…

    Abraço!

Coloque um comentário